Skip to content

Merino Castanho – Brown Merino

February 21, 2016

 

 Nunca tinha trabalhado com merino português castanho, nem escuro nem claro. Este é alentejano e foi-me oferecido. Custou mais a fiar, porque as fibras são bastante curtas e porque eu queria um fio fino e regular.  Foi preciso cardar bem, tirar os nós todos. Mas valeu bem a pena. O toque é extremamente suave e o efeito mesclado correspondeu às expectativas.

I had never actually worked with Portuguese naturally brown merino wool. These two fleeces from the Alentejo region were gifted to me last year. It took me a good while to spin it, because of how short the fibers were and of how thin and smooth I wanted the yarn to be. I had to card it carefully, removing nepps or knots, bumps and other bits. But it was definitely worth it. It made for a very soft yarn and the marled effect turn out just perfect.

 

 

 

 

 

6 Comments leave one →
  1. February 21, 2016 6:58 pm

    tão bonito. que precioso tesouro sai das tuas mãos!😉

  2. iribeiro permalink
    February 23, 2016 10:50 am

    Está mesmo bonito! Se não te importas que te pergunte, como te livraste dos nós ou borbotos (neps)? Tenho um velo de ovelha de raça desconhecida, talvez bordaleira que está carregadinho, fiz uma amostrinha depois de tirar o lixo com os pentes do cão e de cardar mas continua com bastantes borbotos e acho que cardando só os misturo. Já pensei comprar pentes. Qual é o método que costumas usar?

    • February 23, 2016 4:15 pm

      Obrigada!
      Eu só tenho cardas (da Ashford). Quando comecei a cardar o merino branco com que trabalho tive o mesmo problema. Depois comecei a ver que dependia da zona do velo. Conclusão, o que estava a criar borbotos eram a quantidade de fibras curtas (os “second cuts“) deixadas por uma má tosquia. A melhor maneira de evitar os borbotos neste caso é, antes de cardar, tirá-los do velo e certificar-se de que só está a cardar tufos (“locks“) inteiros. Demora mais um bocadinho mas vale a pena.
      Como este merino castanho já vinha cardado uma vez, retirei à mão os borbotos e cardei uma outra vez,. Ao fiar, acabo sempre por ir tirando um ou outro que fiquem.

      Ando a pensar em adquirir uns bons pentes, mas com este merino pouco ou nada ajudariam porque a fibra é curta. Os pentes para funcionarem bem precisam de ser usados numa fibra média ou comprida, segundo o que já vi.

      Espero que tenha sido útil.🙂

      • iribeiro permalink
        February 23, 2016 4:33 pm

        Obrigada! No meu caso salvei uns vêlos da fogueira, porque estavam guardados para ser queimados, só não tinham sido ainda porque foi no verão, e por isso não estão nas melhores condições – ver os second cuts é impossível, e ao lavar não dava para manter as locks juntinhas. A ideia dos pentes veio de quem me ensinou a fiar, a Rosário (DonaMaria), segundo o que percebi ela usa os pentes para limpar um pouco as mechas antes de passarem no tambor de carda, e não tanto para manter as fibras perfeitamente alinhadas.

      • February 24, 2016 8:59 pm

        Compreendo perfeitamente – muitas vezes é impossível fazer como nos livros (sobretudo os Americanos): comparar bem os velos, puxar as pontas para ver se partem, separar bem as partes da lã. Acho que não há nada melhorar do que a experiência nestas situações de “regate“🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: