Skip to content

Quanto tempo demora? – Sobre a valorização do trabalho artesanal

July 30, 2015

É uma das perguntas mais comuns – quanto tempo demora tricotar uma camisola, lavar um velo, fiar uma meada. Às vezes irrita, porque a seguir vem um “ui….não compensa”. Não faço isto por ser mais barato, ser mais rápido, nem para “me ir entretendo”.

Então porquê fazer um fio artesanal? Um fio de lã feito à mão é duradouro e, porque é menos tratado quimicamente, tira partido das propriedades térmicas e de impermeabilização da lã. Além disso, dada a preferência da indústria dos lanifícios por certas cores, comprimentos e espessuras há uma tendência para a uniformização que os fios artesanais, por não terem esses requisitos, combatem. Mas, sobretudo, um fio feito manualmente tem uma individualidade e originalidade especiais. A textura é trabalhada e a cor pensada, dando uma personalidade própria a cada novelo. São peças que são lindas só por si e que não requerem muito trabalho quando tricotadas ou tecidas.

Se valorizo uma meada fiada à mão, valorizo-a também pelo tempo que demorou, porque me lembro de fiar cada metro. É por isso que nunca é muito fácil separar-me de um fio feito por mim e fico contente quando sei que está em boas mãos.

Quando decidi pôr meadas à venda tive de pensar bem no preço, calcular custos de materiais e trabalho. O trabalho é muito, mas quanto exactamente? Decidi então começar a tomar nota de todos os meus períodos de actividade a cardar, carmear, fiar e tingir. É a partir destes dados, que guardo com a informação de cada meada ou lote acabado, que calculo os meus preços.

Depois de ter visto como a produção industrial de pequena escala reduz o tempo de trabalho, é para mim natural que haja uma grande diferença de preços. O trabalho que as máquinas fazem numa manhã demora dias à mão. A flexibilidade do processo é diferente e a exigência na qualidade e uniformidade dos materiais também. O artesanato não pode nem consegue competir com os processos industriais. Porque o que é feito à mão leva tempo e o tempo tem de ser remunerado. Parece óbvio, mas está longe disso, num país em que se vendem meias feitas totalmente à mão a 5€. A este preço não é valorização, é exploração e manutenção do estatuto de  “entretém”.

As estatísticas sobre o meu próprio trabalho dão-me alguma ideia sobre qual deve ser resposta ao “quanto tempo demora?”. Aqui estão alguns resultados:

256377-c5f003d7014249369353b455f3db6bd2

1 meada de 84 g : 2.6 horas de trabalho a cardar e fiarProcessed with VSCOcam with f2 preset

1 meada de 104 g: 3.6 horas de trabalho a cardar e fiar

Processed with VSCOcam with f2 preset

1 meada de 138 g: 6.4 horas de trabalho a cardar, fiar e torcer

256377-5158953a52c549d9b55c4560bdca9551

1 meada de 135 g: 13.3 horas de trabalho a carmear (abrir à mão), e fiar

One Comment leave one →
  1. iribeiro permalink
    July 30, 2015 8:05 pm

    Muito boa a tua reflexão! Como ainda não tenho roda acho que nunca conseguiria desfazer-me das minhas meadas. Embora não seja eu a preparar a lã e apenas a fie, o meu record até hoje foi um pouco menos de 3 semanas, mas a fiar 10-15g por dia o que me levava 1h-2h por dia. Mas cada uma tem um valor especial para mim, não só por usar lãs que não se encontram facilmente, mas também cores diferentes de qualquer outra.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: