Skip to content

Sustentabilidade & Lã: Água – Sustainability & Wool: Water

January 4, 2015

IMG_2147

Uma das razões pela qual comecei este projecto foi a minha ‘desconfiança’ dos fios de lã comerciais para tricot que  comprava em Vancouver. As cores eram lindas, a textura suave e fofa. Mas donde é que vinham estes fios e como é que eram feitos? Acho que é importante ser, como se diz nos Estados Unidos, “fiber-conscious” (preciso urgentemente de um aportuguesamento da expressão, mas ainda não arranjei). Ou seja, é importante conhecer o fio que estamos a comprar e com que passamos horas e horas a fazer uma camisola. Se não for assim também não vale a pena. Do que é que serve tricotar à mão com um fio 100% lã, se a lã for coberta em plástico, ou se for processada com os químicos mais agressivos e ambientalmente nocivos, se vier sistematicamente do outro lado do mundo ou se quem a fiou receber uma ninharia?

Há uns tempos comecei a ouvir o novo podcast sobre lã e têxteis em inglês Woolful – que recomendo – e encontrei a entrevista com Kylie Gusset, a fundadora australiana da nova marca de fios Ton of Wool. Este comentário sobre a água foi uma das partes mais interessantes da entrevista, muito centrada na questão da sustentabilidade.

One of the reasons I started the Flying Fleece was my dissatisfaction with the commercial wool yarns I used to buy in Vancouver. The colours were beautiful, the texture was smooth and soft. But where did they come from? I truly believe it is important to be “fiber-conscious”. It is important to really know the yarn you will spend hours knitting to make that sweater. If we are not ready to take that step, then we miss the whole point. What good is it to hand knit a 100% wool yarn if the wool is covered in plastic, if it has been processed with harsh and toxic chemical, if it systematically comes from the other side of the world or if the person who spun it is underpaid?

A little while ago I started hearing the new podcast about wool and fiber Woolful – which I do recommend – and found this interview with Kylie Gusset, the founder of the new Australian brand Ton of Wool. Here is one of the highlights of her chat about the wool industry and sustainability.

IMG_2327

Something to understand is that when you are dyeing on a commercial level (…) it’s basically around 30 to 1. So that is 30 liters of water are required to dye one kilo of wool. But that’s seen as being really good and today I’m just like you need 30 liters of water to dye a kilo, what? And I mean in Australia dye to water is more I know for one company its’ probably 200 to 1 and I was just speechless when I found that one that’s like I am never buying in this town again. So yeah. It’s very wildly set. It’s also even if you have an Indie dye which was using the most hideous yarn and the most horrible dyes and so forth but they are doing it in a couple of buckets and they are doing it in a sort of thoughtful way, I mean yeah, there are so many things to layout as what that is going to set and I guess yeah.(…)When it’s wool and it’s sustainability they often go to these sort of you know the problem is sheep and meat thing, it’s not at all. It’s processing and it’s also what consumers do with wool when they actually get it.

IMG_2143

O aproveitamento da água é uma das coisas que tentamos sempre melhorar, tanto a lavar como a tingir. E as boas notícias é que não são precisas centenas de litros. Na lavagem utilizamos água da chuva, recolhida num tanque ligado a um sistema de caleiras. A lã é aquecida ao sol, que no Verão faz as vezes de qualquer fogão. Depois de estar de molho a água é utilizada para a rega das árvores e a lã é passada novamente por água na ribeira. Resultado: zero água desperdiçada.

Tingir em pequena escala tanbém diminui os desperdícios de água. Toda a água é reciclada para outros usos domésticos ou para rega. Na tinturaria usando cores sintéticas uma garrafa de água e 4 minutos de microondas basta para dar cor a uma meada. Na tinturaria natural, tento deixar os materiais de molho ao sol como alternativa à panela e fogão.

Tricotar fios processados em pequena escala é também tricotar usando menos água e menos energia.

Over the years, we have tried to diminish the waste of water in wool processing, both at the washing at dyeing stages. And the good news is that you really don’t need hundreds of liters to get the job done. For the washing of the raw fleeces we use rain water that is collected from the rooftop and then stored in a small reservoir. We soak the wool under the sun so it heats up naturally. Afterwards, we use this water for our fruit trees and rinse the fleeces in the local creek. The result: zero water wasted.

Dyeing at a small scale is also a good way to curb water waste. All of our dyeing water is recycled for other domestic uses or to water plants. When I use synthetic dyes, a large bottle of water and some 4 minutes on the microwave are enough to colour a skein. When using natural dyes, I try to soak the materials under the sun as an alternative to using the stove.

Knitting yarns produced at a small-scale also means knitting using less water and energy.

IMG_2155

2 Comments leave one →
  1. January 4, 2015 8:46 pm

    Percebo o que queres dizer e concordo. Acho que é um assunto que deve ser mais abordado e estudado, como utilizar os corantes naturais para dar uma tinturaria eficiente às fibras. No geral, penso que em toda a industria têxtil já começa a surgir uma preocupação maior com o consumo de água que se reflecte não só no ambiente mas também no seu custo que para a industria tem um peso pesado (e que pode perfeitamente impulsionar uma mudança neste sentido).

    De qualquer maneira, a industria da tinturaria nunca foi uma industria limpa, mesmo quando se resumia a um certo número restrito de pessoas que tingiam a lã e os panos para aldeias ou vilas.

    Obrigada pelos links vou explorar (:

    • January 6, 2015 8:49 pm

      Tens toda a razão. Aliás, há todo um debate sobre a tinturaria “natural” que foi mencionado algures na entrevista. Muitas das cores naturais são extraídas utilizando compostos metálicos tóxicos e poluentes. Por ser “natural” não quer dizer que seja lá muito ecológico…. A tinturaria sintética pode ser tão ou mais sustentável. Em suma, não é uma questão simples e estar informada(o) é importante.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: