Skip to content

A fiar… a tentar

September 24, 2013
tags: ,

20130923-222453.jpg

Por entre muita leitura de Metafísica (literalmente), lá tenho encontrado tempo para ir fiando.

Tentei usar o novo fuso que comprei no Porto, mas não foi fácil. Mesmo depois de algum treino continuo sem conseguir que o fuso segure o fio. Pergunto-me se sou eu, que aprendi sozinha, no canadá e sou avessa a rocas (traços que normalmente não abonam a meu favor quando se tratar de estabelecer se “fio a sério”). Mas, já fiei sem problemas num fuso português e, convém lembrar, há zonas em que não se usa roca… Será que a minha técnica de suspensão não é adequada a este tipo de fuso ou será que o sulco do fuso não está bem feito…?

Sugestões, conselhos e opiniões são muito bem-vindas.

20130923-222533.jpg

6 Comments leave one →
  1. September 25, 2013 8:31 am

    Eu bem que te tentava ajudar, mas não consigo… Também eu tenho um fuso desses, bem portugueses, que me deu a minha tia, mas nunca consegui que o fio ficasse prese, e sempre pensei que fosse a falta de experiência ou então o facto de trabalhar um fio muito grosso. O que te sugiro é que olhes com atenção para os dois fusos e vejas se existem diferenças, poucas, mas que talvez seja isso que faz o fio não prender. Ou então podes sempre aumentar o sulco do fuso, fazendo-o mais fundo.

    Bjs

    Mónica

    • September 29, 2013 2:23 pm

      Obrigada Monica! É o que vou fazer – deixei o outro em Portugal mas no Natal vou dedicar-me a essa comparação. Na pior das hipóteses aplica-se um camarão metálico na ponta e fica funcional imediatamente🙂

  2. October 1, 2013 9:00 pm

    Esse fuso foi feito na Serra de Montemuro e, como todos os que de lá vêm hoje em dia, não é perfeito, daí não segurar o fio na beiça como devia. Por lá fia-se sem roca ( https://vimeo.com/72328984 ) e a verdade é que raramente os fusos são deixados em suspensão, mas os bons, quando é preciso, seguram ligeiramente o fio. Eu tentaria tornar o sulco mais profundo…

    • October 4, 2013 4:03 am

      Obrigada Rosa!
      Acho que do tricot vim para a fiação e a próxima paragem é a carpintaria =) A suspensão dá uma certa velocidade, mesmo não sendo muito usual. Mas pelo que já ouvi da minha avó e em Bucos, realmente sempre houve quem “largasse o fuso”.

      • October 6, 2013 7:36 pm

        Um bom fuso tem uma boa mainça (a rosca), daquelas que seguram o fio e tem peso para o esticar bem enquanto fias. Eu aprendi assim com quem sabe. Eu tenho alguns feitos há pouco tempo para mim, e outros com décadas que me foram oferecidos (feitos pelo pai da melhor fiandeira de Bucos🙂.

        O primeiro que me deram não tinha nenhuma destas características e foi imediatamente deitado fora pela D.Ilídia quando me viu com aquilo😀
        No entanto, a verdade é que se tiveres experiência suficiente, consegues fiar com qualquer coisa. Se estás a começar, já não é bem assim. Precisas de uma boa ferramenta.

        Um fuso parece uma peça simples, mas é pela simplicidade que a maior parte deles falha. E por isso, fazê-los também não é assim tão fácil:
        http://saberfazer.org/2012/01/11/fazer-um-fuso-com-o-ze-manel/

        Se reparares, os fusos que ele faz suspendem sempre o fio😉

      • October 10, 2013 5:03 am

        Obrigada Alice! =)
        Fico satisfeita em saber que estou no bom caminho – a mainça deve, idealmente, segurar. O que tenho dá para fiar, é verdade, mas muito devagar e mal… Em comparação com as fotografias nota-se que está muito mal acabado. Falta “calibrar” nas férias do Natal =)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: