Skip to content

Pompons – Pom Pom Garland

March 26, 2017

 

Arranjei um par de ‘pom pom makers’ nos Estados Unidos em Dezembro e passei o Natal a fazer mais de duas dúzias de pompons. Nada melhor para aproveitar novelos antigos. E os pompons ficaram mesmo bem.

I got myself some pom pom makers in December and spent Christmas break making over two dozen pom poms. It was a major stash-busting operation. And they turned out fluffy and great.

 

 

 

Luvas Para o Frio -Mittens for Cold Hands

March 6, 2017

 

 

Um dos grandes choques quando me mudei para a América do Norte foi a quantidade de pessoas a viver nas ruas das cidades. Vancouver era péssimo, sobretudo pela maneira como o problema era ’desculpado’ por muita gente. Aqui no Michigan, a situação é tão ou mais impressionante. Há quem viva em tendas ou na rua num sítio em que, no Inverno, chega aos -20 graus. Para acabar na rua basta ficar doente e não ter seguro de saúde, por exemplo. É revoltante e frustrante porque é difícil saber o que fazer. Não entendo a falta de prioridade política do problema, esbarro na ’privatização’ de tudo e mais alguma coisa. É mais uma daquelas situações em que percebo que não percebo este país.

Tricotar luvas para quem tem de passar este inverno sem casa não é solução para nada. É quase deprimente. Mas foi o que consegui fazer. 100% lã, feitas à mão – porque não suporto a ideia de que quem vive na rua tem de se contentar com os ’restos’ dos outros, com coisas de segunda qualidade e de fraca durabilidade (e de fraca dignidade). Fiz dois pares, que no final de 2016 se juntaram a mais umas centenas e foram distribuídos em Detroit. Reciclei um cobertor polar quase novo e forrei-as para que aguentem os tais -20 graus. É o mínimo.

One of the most shocking things when I moved to North America was homelessness. Vancouver had a pretty terrible situation. In casual conversation, people would make excuses for societal inaction, normalize the phenomenon. Just like rain, there was mass homelessness. Here in Michigan, the situation is as bad or worse. People live in tents or on the street through the roughest winters I’ve ever seen. And it is so easy to end up on the street. All you need to do is to be really sick and not have health insurance. It’s incredible and it’s frustrating. It’s hard to know what’s to be done when this is not a political priority and everything seems to be private anyways. It’s at times like these that I feel most foreign, like I lack a basic understanding of what’s going on.

Knitting mittens is not a solution. It’s actually quite depressing. But it’s what I did last year. 100% wool, hand knit with care and attention – because I cannot stand the idea that living on the street should mean you get the ‘scraps’ from everyone else. I made two pairs which, together with another few hundred, were distributed in Detroit by the end o the year. I recycled a polar blanket and made linings for all of them, so that they can actually stand the winter. It’s the least we can do, it’s the bare minimum.

Luvinhas – Improv Gloves

January 29, 2017

Foram feitas há quase 4 anos, improvisadas num comboio, com Beiroa em castanho e merino fiado no fuso, em branco. Depois de tantas viagens, voltei a encontrá-las este Natal.

I knit these 4 years ago, on a train. I didn’t have a pattern, I just improvised them with some Beiroa yarn and handspun merino. They’ve been all around the world, and now I saw them again this Christmas.

 

“The Art of the Loom”1989

January 17, 2017

by Ann Hecht.

Peruvian woman sitting in a doorway weaving on the simplest of looms.

Carding and spinning wool: three generations at the cottage in Pakhribas, Koshi Hills, Nepal.

Processed with VSCO with hb2 preset

Guatemala.

Processed with VSCO with hb2 preset

A bedouin man spinning wool with his hands prior to winding it on a stick. Oman.

A horizontal ground loom in Israel. The heddle bar is supported on either side by rocks.

Processed with VSCO with hb2 preset

Spinning cotton. Ighetti, Nigeria.

Combing Merino – Pentear Merino

December 22, 2016

O merino, com fibras mais curtas e homogéneas, não era a minha prioridade quando comprei os pentes. Mas acabei por gostar muito de fazer estes ‘ninhos’, tão limpos e perfeitos.

When I bought my wool combs, I didn’t think I was going to use them with my merino. But I ended loving the neat end result that I just kept making more and more of these ‘bird nests’.

Na Feira de Natal da Retrosaria (20 Dez)

December 16, 2016

Pela primeira vez, as nossas lãs vão estar ao vivo e a cores em Lisboa. E em excelente companhia! É já para a semana, na Feira de Natal na Retrosaria Rosa Pomar. A Feira começa já amanhã, e a Flying Fleece vai estar lá na Terça, dia 20 de Dezembro. Trago comigo meadas muito especiais e muita lã para fiar. Já estamos a fazer os preparativos. Até lá! 😉

Back to Basics

December 14, 2016

Combed Churra Bragançana spun on Portuguese Spindle.

Churra Bragançana penteada, fiada em fuso português.

%d bloggers like this: